PEDAGOGOS EM AÇÃO

domingo, 23 de setembro de 2012

FILOSOFIA É:RADICAL,RIGOROSA E DE CONJUNTO

Um grande filósofo chamado Dermeval Saviani,professor da Unicamp(SP),define  filosofia como uma reflexão radical,rigorosa e de conjunto sobre os problemas que a realidade apresenta.Qual é verdadeiramente o significado de reflexão.A palavra reflexão , vem do verbo latino relectare,que significa:voltar a trás.É, pois,um re-pensar,ou seja,um pensamento em segundo grau.Poderíamos,pois,dizer:se toda reflexão é pensamento,nem todo pensamento é reflexão.Este é um pensamento consciente de si mesmo,capaz de se avaliar ,de verificar o grau de adequação que mantém com os dados objetivos de medir-se com real.Pode aplicar-se às impressões e opiniões,aos conhecimentos científicos e técnicos,interrogando-se sobre o seu significado.Refletir é o ato de retornar,reconsiderar os dados disponíveis,revisar,vasculhar numa busca constante do significado.É examinar detidamente,prestar atenção,analisar com cuidado.E é isto filosofar[...]
Com efeito,se a filosofia é realmente uma reflexão sobre os problemas que a realidade apresenta,enquanto ela não é qualquer tipo de reflexão.Para que uma reflexão possa ser adjetivada de filosófica,é preciso que se satisfaça uma série de exigências que vou resumir em três requisitos: a radicalidade,o rigor e a globalidade.Quero dizer,em suma,que a reflexão filosófica,para ser tal,deve ser radical,rigorosa e de conjunto.
RADICAL:Em primeiro lugar,exige-se que o problema seja colocado em termos radicais,entendida a palavra radical no seu sentido mais próprio e imediato.Quer dizer, é preciso que se vá até às raízes da questão,até seus fundamentos.Em outras palavras, exige-se que se opere uma reflexão em profundidade.
RIGOROSA:Em segundo lugar e como que para garantir a primeira exigência,deve-se proceder com rigor,ou seja,sistematicamente,segundo métodos determinados,colocando-se em questão as conclusões da sabedoria popular e as generalizações apresentadas que a ciência pode ensejar.
DE CONJUNTO: Em terceiro lugar,o problema não pode ser examinado de modo parcial,mas numa maneira perspectiva de conjunto,relacionando-se o aspecto em questão com os demais aspectos do contexto em que está inserido.É nesse ponto que a filosofia se distingue da ciência de um modo mais marcante.Com efeito,ao contrário da ciência,a filosofia não tem objetivo determinado,ela dirige-se a qualquer aspecto da realidade,desde que seja problemático,seu campo de ação é o problema,esteja onde estiver.Melhor dizendo,seu campo de ação é o problema enquanto não sabe ainda onde ele está;por isso se diz que a filosofia é busca.E é nesse sentido que se pode dizer que a filosofia abre caminho para a Ciência,através da reflexão,ela localiza o problema tornado possível a sua delimitação na área de tal ou qual ciência que pode então analisá-lo e, quiça,solucioná-lo.Além disso,enquanto a ciência isola o seu aspecto do contexto e o analisa separadamente,a filosofia,embora dirigindo-se às vezes apenas a uma parcela da realidade,insere-a no contexto e a examina em função do conjunto.

SAVIANI,Demerval.Educação do senso comum à consciência filosófica.6 ed.São Paulo :Cortez/AUTORES ASSOCIADOS,1985 p:23-4


PROF.MESTRE E ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO
EDNILSON MORAES
e-mail:ednilsonsimei@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário